Peru x Chester: Entenda a diferença | Panificadora Saint Georges

Blog

17/12/2019

Peru x Chester: Entenda a diferença

Peru

Peru

Origem da tradição

Estamos chegando em uma das épocas mais aguardadas do ano e com ela temos a oportunidade de saborear alguns pratos tradicionais do mês de dezembro. Mas quando surgiu o costume de comer peru no natal?

Os Maias e os Astecas tinham por costume utilizar o peru em oferendas pois os consideravam como símbolo de fartura e essa tradição acabou passando para os índios norte-americanos que começaram a criar essa ave. Com o descobrimento da América e o início da colonização do México os europeus também tiveram contato com o peru. 

Foi na cidade de Plymouth no estado de Massachusetts (EUA), precisamente no ano de 1621 que o hábito de comer peru no Natal surgiu. Por ser uma ave barata para se criar e engordar facilmente, os espanhóis acabaram levando o peru para a Europa no século  XVI, onde era comum o consumo de gansos, cisnes e pavões, as aves nobres. Logo essa ave nativa da América do norte se tornou a preferida dos europeus e praticamente substituiu o cisne como a ave de natal na Inglaterra. Em nosso país o hábito de consumir peru na ceia de natal, surgiu na época do Brasil colonial. 

Chester

Chester

Mas e o Chester?

É uma espécie diferente de ave geneticamente modificada e desenvolvida pela marca Perdigão. Chester significa “peitudo” em inglês, pois a maior da sua carne está concentrada no peito.  A carne do chester é suculenta e tem um sabor suave, já o peru tem uma carne mais firme e seca com um sabor mais marcante. 

O peru ainda predomina as ceias natalinas, porém, aos poucos o chester vem conquistando a mesa das famílias brasileiras.

 

Leia a nossa última publicação no blog: Rabanada: A histórica receita natalina

Voltar

Compartilhe

 

Fale conosco
Fale conosco